quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

OS MELHORES DO ANO – III


Leila Hatami e Peyman moaadi em "A Separação" 

Os cinéfilos de um modo geral e aqueles que curtem esse modo de definir seus gostos na arte cinematográfica já estão preparando suas listas de melhores do cinema em 2012, no nosso caso, em Belém. Alguns já fizeram as suas. Como na relação de filmes publicada pela coluna deixaram de ser inscritos alguns títulos e como se pretende seguir a tradição e solicitar aos leitores de Panorama que não se esqueçam de registrar os seus melhores, vale voltar ao assunto.
           Na relação de filmes publicada esqueci o registro de “A Separação”( Jodaeiye Nader az Simin) filme iraniano de Asghar Fardadi, vencedor do Oscar de produção estrangeira. Dele também o roteiro premiado em varias mostras na qualidade de original. Também deste filme duas interpretações femininas de grande impacto: Leila Hatam e Sarah Bayat, no caso, intérprete principal e coadjuvante, respectivamente.
          Outro filme esquecido da primeira lista foi “O Garoto da Bicicleta” (Le Gamin au Veló/França), de Jean Pierre e Luc Dardenne. A atriz Cécile de France não deve ser esquecida na categoria.
           Um desempenho memorável de atriz tembém é o de Tilda Swinton por “Precisamos Falar Sobre Kevin”(We Need to Talk about Kevin/UK) de Lyne Ramsay. Ela protagoniza a mãe do garoto problemático.
           No rol das animações, a escolha deve ocorrer entre “A Origem dos Guardiões”, “Valente”, “Frankenweenie”, “As Aventuras de Tim Tim” e “ParaNorman”.Não me toquei nas qualidades de “Hotel Transilvania”. Talvez alguém goste.
            O ator Omar Sy corre na frente como o ajudante do paraplégico interpretado por François Cluzet  em “Intocáveis”(Intouchables) de Olivier Nakache e Eric Toledano. Sy é filho de mãe mauritana e pai senegalês e esse filme foi o mais visto na França em 2011. Muito importante é que esse ator foi o primeiro negro a receber o César (espécie de Oscar francês) na 37ª edição dessa premiação. Sua atuação no cinema vem desde 2000.
            O documentário “Pina”, de Win Wenders, está em muitas listas e se for colocado em seu gênero fica em “pole position”. O filme foi indicado ao Oscar de documentário em 2012. É preciso evidenciar que tanto Wenders como Martin Scorsese, este  por “A Invenção de Hugo Cabret” levaram a arte cinematográfica à tecnologia 3D com grande maestria e aproveitamento desse recurso.
          Rooney Mara, novaiorquina de 26 anos, é forte candidata a melhor atriz por seu desempenho em “Millenium, Os Homens que Não Amavam as Mulheres”, de David Fincher. A jovem atriz, em seu 13° papel (incluindo TV) igualou sua interpretação a de sua colega Naomi Rapace, na versão da mesma fonte dirigida em 2009 por Niels Oplev.
           Vencedora do Oscar pela composição do tipo de Margareth Tatcher até os momentos reproduzidos desta figura sofrendo do Mal de Alzheimmer, Mary Streep esteve num filme que me pareceu insatisfatório (“A Dama de Ferro”). Há outras performances melhores dessa atriz em outras ocasiões.
          Dois filmes nacionais me pareceram dignos de entrar em lista de melhores:”Gonzaga - De Pai Pra Filho”, de Bruno Silveira (felizmente sucesso de publico), e “Xingu” (2012) de Cao Hamburger, filme  que teve pouca aceitação de público e nem constou entre os 15 que concorreram para indicação oficial do Brasil ao Oscar.
         Woody Allen compareceu como em todos os anos, mas seu trabalho em “Para Roma com Amor”(To Rome With Love) me pareceu aquém de suas possibilidades. Ressalto a sua volta como interprete, competindo com Roberto Benigni que nas mãos do colega-diretor não esteve impiedosamente chato como na maioria das vezes.
         Bons desempenhos de atores contabilizam-se este ano como Jean Dujardin em “O Artista”, Ryan Gosling em “Drive”, Liam Neeson em “A Perseguição”, François Cluzet  em “Intocáveis”, Michael Fassbender em “Shame” e em “Prometheus”, Bem Affleck em “Argo” (por sinal forte candidato a ator e diretor no Globo de Ouro do próximo ano), e todo o elenco de “O Deus da Carnificina” (um bom teatro filmado por Roman Polanski).
          Os filmes que abordaram os primórdios do cinema, “O Artista” e “A Invenção de Hugo Cabret” devem figurar em muitas listas.
          E o leitor pode avaliar os demais de repertório particular. Aguardo as listas dos leitores através de e-mail, até a primeira semana de janeiro. Edyr Falcão, por exemplo, veterano nessa promoção, já está agendando sua presença.

 

3 comentários:

  1. já enviei minha relação

    ResponderExcluir
  2. Ok, Alex, já recebi sua lista. Mande outros colegas participarem da escolha. Obrigada. Abraços.

    ResponderExcluir