quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

MOSTRA DE FICÇÃO CIENTIFICA

O Homem do Planeta X”(1951)
 
Desde a terça feira, 18, no Cine Olympia, um programa com filmes de ficção cientifica. E começou com duas raridades: a versão integral de “Viagem à Lua”(Voyage dans la lune-1902), o clássico fime de George Mèliés (1861-1938), aquele que foi visto em parte no “A Invenção de Hugo Cabret”, de Martin Scorsese; segue-se a exibição de “A Mulher na Lua”(Frau on Monde, 1925) de Fritz Lang, longa-metragem que me parece inédito nos cinemas e cineclubes locais.

A mostra exibirá ainda outros títulos ao longo da semana como: “Destino à Lua”(Destination Moon-1949) de George Pal & Irving Pichel, na época considerado o mais próximo da concepção cientifica de uma exploração lunar; “Daqui a Cem Anos”(Things to Come-UK 1936), um roteiro do escritor H.G. Wells, com direção de William Cameron Menzies, mais conhecido como cenografo, tendo realizado sequencias de “...E O Vento Levou”, como o incendio de Atlanta; “A Máquina do Tempo”(1960), também baseado no livro de H.G.Wells, com produção e direção de George Pal (1908-1980); o conhecido e emblemático “Contatos Imediatos do Terceiro Grau”(1977), de Steven Spielberg. O recente “Lunar” (2009) de Duncan Jones (filho do cantor David Bowie) e inédito nos cinemas locais está nessa mostra. O filme é de baixo orçamento, poucos atores, cenário limitado mas as críticas apontam como um filme bastante inteligente, quer na história que aborda como as assuntos temáticos como solidão e violência humana.

A ficção-cientifica, conhecida pela abreviatura do nome em inglês,”sci-fi”(de science-fiction) foi um gênero que o cinema, depois de Mèliés e poucos mais, relegou à produção de baixo custo. Tornou-se tema de varios seriados, como 3 filmes cujo personagem era Flash Gordon, o heroi dos quadrinhos desenhados por Alex Raymond, e filmes pequenos, mas criativos, como “O Homem do Planeta X”(1951), de Edgar G.Ulmer, “Veio Do Espaço”(1953) de Jack Arnold, “O Monsto Magnetico”( 1953) e “Da Terra a Lua” (1958) de Kurt Newman, e tantos que conseguiam vaga em telas locais, especalmente nas salas de bairros. Segundo os livros de cinema foi depois do filme de George Pal (“Destino à Lua”) que a indústria passou a ver com mais cuidado esse tipo de produção. Era o imediato pós-guera e a chegada de tecnologias como o avião a jato e os então gigantescos computadores. Com isso, os roteiristas passaram a usar a imaginação e se apossar do cenário politico da época, como a guerra fria entre EUA e URSS para histórias como “Colossus 1980” onde um computador norteamericano ganhava independencia e passava a se comunicar sigilosamente com um igual, nascido em Moscou.

Do grupo de filmes da mostra atual dois títulos tratam da viagem no tempo. O primeiro, “Daqui a Cem Anos”, realizado em 1936, hoje visto de forma hilária quando mostra profecias que falharam totalmente. No filme, os modernos aviões ainda não usam a propulsão a jato e há “tombadihos” como nos navios. A 2ª  Guerra Mundial já era prevista, mas com a data abreviada. E a primeira viagem à lua seria só em 2036!

Alguns filmes de sci-fi usavam efeitos especiais curiosos que chegaram a ganhar Oscar como o de “A Guerra dos Mundos”,de 1953. Em “A Maquina do Tempo” é ainda hoje pitoresca a sequencia em que uma vitrine muda rapidamente de acordo com a moda, vendo-se um manequim transformando sua indumentária à medida em que o viajante acelera a máquina que lhe transportará para o futuro.

O curta metragem de Méliès, narrado pela neta do diretor, já é um motivo para ir ao cinema. Mas o trabalho que Fritz Lang realizou na Alemanha, na época do seu célebre “Metropolis”, é um desafio até pela metragem, No original a duração era de 200 minutos. Foi remontado, mas, mesmo assim, ultrapassa o tempo normal de projeção. E só deixa liberdade cientifica num desembarque em solo lunar sem qualquer aparato para se andar em ambiente sem atmosfera.

Aos amantes do gênero essa mostra do Cine Olympia será uma festa. E ela vai encerrar com o marco do genero: “2001 Uma Odisséia no Espaço”, de Stanley Kubrick.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário